Make your own free website on Tripod.com

Catecismo da Igreja Católica

Índice Geral

PRÓLOGO

I

A vida do homem - conhecer e amar a Deus

 

 

§ 1 a § 25

II

Transmitir a fé - a catequese

III

O objetivo e os destinatários deste Catecismo

IV.

A estrutura deste Catecismo

V.

Indicações práticas para o uso deste Catecismo

VI.

As adaptações necessárias

PRIMEIRA PARTE - A PROFISSÃO DA FÉ

Primeira Seção - "EU CREIO" - "NÓS CREMOS" (§26)

CAPÍTULO I - O HOMEM É "CAPAZ" DE DEUS

I

O desejo de Deus

 

§ 27 a § 49

II

As vias de acesso ao conhecimento de Deus

III

O conhecimento de Deus segundo a Igreja

IV.

Como falar de Deus ?

CAPÍTULO II - DEUS VEM AO ENCONTRO DO HOMEM (§50)

Artigo 1 - A Revelação de Deus

I

Deus revela seu "projeto benevolente"

 

§ 51 a § 73

II

As etapas da Revelação

III

Cristo Jesus "Mediador e Plenitude de toda a Revelação

Artigo 2 A transmissão da Revelação divina

I

A Tradição apostólica

 

§ 74 a § 100

II

A relação entre a Tradição e a Sagrada Escritura

III

A interpretação do depósito da fé

Artigo 3 - A Sagrada Escritura

I

Cristo - Palavra única da Sagrada Escritura

 

§ 101 a § 141

II

Inspiração e verdade da Sagrada Escritura

III

O Espírito Santo, intérprete da Escritura

IV.

O Cânon das Escrituras

V.

A Sagrada Escritura na vida da Igreja

CAPÍTULO III - RESPOSTA DO HOMEM A DEUS (§142 a §143)

Artigo 1 - Eu creio

I

A obediência da fé

 

§144 a §165

II

"Sei em quem pus minha fé" (2Tm 1,12)

III

As características da fé

Artigo 2 Nós cremos

I

"Olhai, Senhor, para a fé da vossa Igreja"

 

§166 a §184

II

A linguagem da fé

III

Uma única fé

 

SEGUNDA SEÇÃO - A PROFISSÃO DA FÉ CRISTÃ (§185 a §197)

CAPÍTULO I - CREIO EM DEUS PAI (§198)

Artigo 1"Creio em Deus Pai Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra"

Parágrafo 1 - Creio em Deus (§199)

I

"Creio em um só Deus"

 

§200 a §231

II

Deus revela seu nome

III

Deus, "Aquele que é", é Verdade e Amor

IV.

O alcance da fé no Deus Único

Parágrafo 2 - O Pai

I

"Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo"

 

§232 a §267

II

A revelação de Deus como Trindade

III

IA Santíssima Trindade na doutrina da fé

IV.

As obras divinas e as missões trinitárias

Parágrafo 3 - O Todo-Poderoso (§268 a §278)

Parágrafo 4 - O Criador (§279 a §281)

I

A catequese sobre a criação

 

§ 282 a §324

II

A criação - obra da Santíssima Trindade

III

"O mundo foi criado para a glória de Deus"

IV.

O mistério da criação

V.

Deus realiza o seu projeto: a divina providência

Parágrafo 5 - O céu e a terra (§325 a §327)

I

Os anjos

§328 ao §354

II

O mundo visível

Parágrafo 6 - O homem

I

"A imagem de Deus"

 

§355 ao §384

II

"Corpore et anima unus"

III

"Homem e mulher os criou"

IV.

O homem no Paraíso

Parágrafo 7 - A queda (§385)

I

Onde o pecado abundou, a graça superabundou

 

§386 ao §421

II

A queda dos anjos

III

O pecado original

IV.

"Não o abandonaste ao poder da morte"

CAPÍTULO II - CREIO EM JESUS CRISTO, FILHO ÚNICO DE DEUS (§422 a §429)

Artigo 2 - "E em Jesus Cristo, seu Filho único, Nosso Senhor"

I

Jesus

 

§430 ao §455

II

Cristo

III

Filho Único de Deus

IV.

Senhor

Artigo 3 - "Jesus Cristo foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria"

Parágrafo 1 - O filho de Deus se fez homem

I

Por que o Verbo se fez carne?

 

§456 a §483

II

A Encarnação

III

Verdadeiro Deus e verdadeiro homem

IV.

De que maneira o Filho de Deus é homem

Parágrafo 2 - Concebido pelo poder do Espírito Santo, nascido da Virgem Maria

I

Concebido pelo poder do Espírito Santo

 

§484 a §511

II

...Nascido da Virgem Maria

Parágrafo 3 - Os mistérios da vida de Cristo (§512 a §513)

I

Toda a vida de Cristo é Mistério

 

§514 a §570

II

Os mistérios da infância e da vida oculta de Jesus

III

Os mistérios da vida pública de Jesus

Artigo 4 "Jesus Cristo padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado" (§571 a §573)

Parágrafo 1 – Jesus e Israel (§574 a §576)

I

Jesus e Lei

 

§577 a §594

II

Jesus e Templo

III

Jesus e a fé de Israel no Deus Único e Salvador

Parágrafo 2 - Jesus morreu crucificado

I

O processo de Jesus

 

§595 a §623

II

A morte redentora de Cristo no desígnio divino de salvação

III

Cristo ofereceu-se a seu Pai por nossos pecados

 

Parágrafo 3 - Jesus Cristo foi sepultado (§624 a §630)

Artigo 5 "Jesus Cristo desceu aos Infernos, ressuscitou no terceiro dia" (§631)

Parágrafo 1 - Cristo desceu aos Infernos (632 a 637)

Parágrafo 2 - No terceiro dia ressuscitou dos mortos (§638)

I

O evento histórico e transcendente

 

§639 a §658

II

A Ressurreição - obra da Santíssima Trindade

III

Sentido e alcance salvífico da Ressurreição

Artigo 6 "Jesus subiu aos Céus, está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso" (§659 a §667)

Artigo 7 "Donde vir julgar os vivos e os mortos

I

Ele voltará na glória

 

§ 668 a §682

II

Para julgar os vivos e os mortos

CAPÍTULO III - CREIO NO ESPÍRITO SANTO (§683 a §686)

Artigo 8 "Creio no Espírito Santo" (§687 a §688)

I

A missão conjunta do Filho e do Espírito

 

 

 

§ 689 a §747

II

O nome, as denominações e os símbolos do Espírito Santo

III

O Espírito e a Palavra de Deus no tempo das promessas

IV.

O Espírito de Cristo na plenitude do tempo

V.

Espírito e a Igreja nos últimos tempos

Artigo 9 "Creio na Santa Igreja Católica" (§748 a §750)

I

As denominações e as imagens da Igreja

II

Origem, fundação e missão da Igreja

III

O mistério da Igreja

Parágrafo 2 - A Igreja - Povo de Deus, Corpo de Cristo, Templo do Espírito Santo

I

A Igreja - Povo de Deus

 

§781 a §810

II

A Igreja - Corpo de Cristo

III

A Igreja - Templo do Espírito Santo

Parágrafo 3 - A Igreja é una, santa, católica e apostólica (§811 a §812)

I

A Igreja é una

 

§813 a §870

II

A Igreja é santa

III

A Igreja é católica

IV.

A Igreja é apostólica

Parágrafo 4 - Os fiéis de Cristo - Hierarquia, leigos, vida consagrada (§871 a §873)

I

A constituição hierárquica da Igreja

 

§874 a §945

II

Os fiéis leigos

III

A vida consagrada

Parágrafo 5- A comunhão dos santos (§946 a §948)

I

A comunhão dos bens espirituais

§949 a §962

II

A comunhão entre a Igreja do Céu e a da terra

Parágrafo 6 - Maria Mãe de Cristo, Mãe da Igreja (§963)

I

A maternidade de Maria com relação à Igreja

§964 a §975

II

O culto da Santíssima Virgem

III

Maria - ícone escatológico da Igreja

Artigo 10 "Creio no perdão dos pecados" (§976)

I

Um só Batismo para o perdão dos pecados

§ 977 a §987

II

O poder das chaves

Artigo 11 "Creio na ressurreição da carne"

I

A Ressurreição de Cristo e a nossa

§988 a §1019

II

Morrer em Cristo Jesus

Artigo 12 "Creio na vida eterna" (§1020)

I

O Juízo Particular

 

 

§1021 a § 1065

II

O Céu

III

A purificação final ou Purgatório

IV.

O Inferno

V.

O Juízo Final

VI.

A esperança dos céus novos e da terra nova

 

SEGUNDA PARTE A CELEBRAÇÃO DO MISTÉRIO CRISTÃO

INTRODUÇÃO (§1066 A §1075)

Primeira Seção - A ECONOMIA SACRAMENTAL (§1076)

CAPÍTULO I - O mistério pascal no tempo da Igreja

Artigo 1 - A obra da Santíssima Trindade

I

O Pai, fonte e fim da Liturgia

 

§ 1077 a §1112

II

A obra de Cristo na Liturgia

III

O Espírito Santo e a Igreja na Liturgia

Artigo 2 O mistério pascal nos sacramentos da Igreja (§1113)

I

Os sacramentos de Cristo

 

§ 1114 a § 1134

II

Os sacramentos da Igreja

III

Os sacramentos da fé

IV.

Sacramentos da salvação

V.

Os sacramentos da Vida Eterna

CAPITULO II - A CELEBRAÇÃO SACRAMENTAL DO MISTÉRIO PASCAL (§1135)

Artigo 1 - Celebrar a liturgia da Igreja

I

Quem celebra?

 

§ 1136 a § 1199

II

Como celebrar?

III

Quando celebrar?

IV.

Onde Celebrar?

Artigo 2 – Diversidade Litúrgica e Unidade do Mistério (§1200 a §1209)

Segunda Seção - OS SETE SACRAMENTOS DA IGREJA (§1210 a §1211)

CAPÍTULO I – OS SACRAMENTOS DA INICIAÇÃO CRISTÃ (§1212)

Artigo 1 - O sacramento do Batismo (§1213)

I

Como é chamado este sacramento

 

 

 

§ 1214 a § 1284

II

O Batismo na economia da salvação

III

Como é celebrado o sacramento do Batismo

IV.

Quem pode receber o Batismo

V

Quem pode batizar

VI

A necessidade do Batismo

VII

A graça do Batismo

Artigo 2 - O sacramento da Confirmação (§1285)

I

A Confirmação na economia da salvação

 

§ 1286 a § 1321

II

Os sinais e o rito da Confirmação

III

Os efeitos da Confirmação

IV.

. Quem pode receber este sacramento

V

O ministro da Confirmação

Artigo 3 - O sacramento da Eucaristia (§1322 a §1323)

I

A Eucaristia - fonte e ápice da vida eclesial

 

 

 

§ 1324 a § 1419

II

Como se chama este sacramento

III

A Eucaristia na economia da salvação

IV.

A celebração litúrgica da Eucaristia

V

O sacrifício sacramental: ação de graças, memorial, presença

VI

O banquete pascal

VII

A Eucaristia – "penhor da glória futura"

CAPÍTULO II - OS SACRAMENTOS DE CURA (§1420 a §1421)

Artigo 4 O sacramento da Penitência e da Reconciliação (§1422)

I

Como se chama este sacramento?

 

 

 

 

 

 

§ 1423 a § 1498

II

Por que um sacramento da Reconciliação após o Batismo

III

A conversão dos Batizados

IV.

A penitência interior

V

As múltiplas formas da penitência na vida cristã

VI

O sacramento da Penitência e da Reconciliação

VII

Os atos do penitente

VIII.

O ministro deste sacramento

IX

Os efeitos deste sacramento

X

As indulgências

XI

A celebração do sacramento da Penitência

Artigo 5 A Unção dos Enfermos (§1499)

I

Seus fundamentos na economia da salvação

 

§ 1500 a § 1532

II

Quem recebe e quem administra este sacramento

III

Como é celebrado este sacramento?

IV.

Os efeitos da celebração deste sacramento

V

O viático, último sacramento do cristão

 

CAPÍTULO III – OS SACRAMENTOS DO SERVIÇO DA COMUNHÃO (§1533 a §1535)

Artigo 6 – O Sacramento da Ordem (§1536)

I

Por que o nome sacramento da ordem?

 

 

§ 1537 a § 1600

II

O Sacramento da Ordem na economia da Salvação

III

Os três graus do Sacramento da Ordem

IV.

A celebração deste Sacramento

V

Quem pode conferir este Sacramento?

VI

Quem pode receber este Sacramento?

VII

Os efeitos do Sacramento da Ordem

Artigo 7 – O Sacramento do Matrimônio (§1601)

I

Matrimônio no desígnio de Deus

 

 

§ 1602 a § 1666

II

A celebração do matrimônio

III

O consentimento matrimonial

IV.

Os efeitos do Sacramento do Matrimônio

V

Os bens e as exigências do amor conjugal

VI

A Igreja doméstica

CAPÍTULO IV – AS OUTRAS CELEBRAÇÕES LITÚRGICAS

Artigo 1 – Os Sacramentais (§1667 a §1678)

Artigo 2 – Os funerais cristãos (§1680)

I

A última Páscoa do Cristão

§ 1681 a § 1690

II

A celebração dos funerais

TERCEIRA PARTE A VIDA EM CRISTO

INTRODUÇÃO (§1691 A §1698)

Primeira Seção - A VOCAÇÃO DO HOMEM: A VIDA NO ESPÍRITO (§1699)

CAPÍTULO I - A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA (§1700)

Artigo 1 - O homem imagem de Deus (§1701 a §1715)

Artigo 2 - Nossa vocação à bem-aventurança

I

As bem-aventuranças

 

§ 1716 a § 1729

II

O desejo de felicidade

III

A bem-aventurança cristã

Artigo 3 - A liberdade do homem (§1730)

I

Liberdade e responsabilidade

§ 1731 a § 1748

II

A liberdade humana na economia da salvação

Artigo 4 - A moralidade dos atos humanos (§1749)

I

As fontes da moralidade

§ 1750 a § 1761

II

Atos bons e atos maus

Artigo 5 - A moralidade das paixões (§1762)

I

As paixões

§ 1763 a § 1775

II

Paixões e vida moral

 

Artigo 6 - A consciência moral (§1776)

I

O juízo da consciência

 

§ 1777 a § 1802

II

A formação da consciência

III

Escolher segundo a consciência

IV

O juízo errôneo

Artigo 7 - As virtudes (§1803)

I

As virtudes humanas

 

§ 1804 a § 1845

II

As virtudes teologais

III

Os dons e os frutos do Espírito Santo

Artigo 8 O pecado

I

A misericórdia e o pecado

 

 

§ 1846 a § 1876

II

A definição do pecado

III

A diversidade dos pecados

IV

A gravidade do pecado: pecado mortal e venial

V

A proliferação do pecado

CAPÍTULO II - A COMUNIDADE HUMANA (§1877)

Artigo 1 A pessoa e a sociedade

I

O caráter comunitário da vocação humana

§ 1878 a § 1896

II

A conversão e a sociedade

Artigo 2 A participação na vida social

I

A autoridade

 

§ 1897 a § 1927

II

O bem comum

III

Responsabilidade e participação

Artigo 3 A justiça social (1928)

I

O respeito à pessoa humana

 

§ 1929 a § 1948

II

Igualdade e diferenças entre os homens

III

A solidariedade humana

CAPÍTULO III - A SALVAÇÃO DE DEUS: A LEI E A GRAÇA (§1949)

Artigo 1 A lei moral (1950 a 1953)

I

A lei moral natural

 

§ 1954 a § 1986

II

A Lei Antiga

III

A Nova Lei ou Lei evangélica

Artigo 2 Graça e justificação

I

A justificação

 

 

§ 1987 a § 2029

II

A graça

III

O mérito

IV

A santidade cristã

Artigo 3 A Igreja mãe e educadora (§2030 a §2031)

I

Vida moral e magistério da Igreja

 

§ 2032 a § 2051

II

Os mandamentos da Igreja

III

Vida moral e testemunho missionário

 

Segunda Seção - OS DEZ MANDAMENTOS

"Mestre, que devo fazer"

 

 

 

§ 2052 a § 2082

O Decálogo na Sagrada Escritura

A unidade do Decálogo

O Decálogo e a Lei Natural

Obrigatoriedade do Decálogo

"Sem mim, nada podes"

CAPÍTULO I "AMARÁS O SENHOR, TEU DEUS, DE TODO O CORAÇÃO, DE TODA A ALMA E DE TODO O ENTENDIMENTO". (2083)

Artigo 1 O primeiro mandamento

I

"Adorarás o Senhor, teu Deus, e o serviras"

 

 

§ 2084 a § 2141

II

"Só a Ele prestarás culto"

III

"Não terás outros deuses diante de mim

IV

"Não farás para ti imagem esculpida de nada.

Artigo 2 O segundo mandamento

I

O nome do Senhor é santo

 

§ 2142 a § 2167

II

O nome do Senhor pronunciado em vão

III

O nome cristão

Artigo 3 O terceiro mandamento

I

O dia do sábado

 

§ 2168 a § 2195

II

O dia do Senhor

CAPITULO II "AMARÁS O PRÓXIMO COMO A TI MESMO" (§2196)

Artigo 4 O quarto mandamento (§2197 a §2200)

I

A família no plano de Deus

 

 

§ 2201 a § 2257

II

A família e a sociedade

III

Deveres dos membros da família

IV

A família e o Reino

V

As autoridades na sociedade civil

Artigo 5 O quinto mandamento (§2258)

I

O respeito à vida humana

 

§ 2259 a § 2330

II

O respeito à dignidade das pessoas

III

A salvaguarda da paz

Artigo 6 O sexto mandamento

I

"Homem e mulher os criou..."

 

 

§ 2331 a § 2400

II

A vocação à castidade

III

O amor entre os esposos

IV

As ofensas à dignidade do matrimônio

Artigo 7 O sétimo mandamento (2401)

I

A destinação universal e a propriedade privada dos bens

 

 

 

§ 2402 a § 2463

II

O respeito às pessoas e aos seus bens

III

A doutrina social da Igreja

IV

A atividade econômica e a justiça social

V

Justiça e solidariedade entre as nações

VI

O amor aos pobres

Artigo 8 O oitavo mandamento (§2464)

I

Viver na verdade

 

 

§ 2465 a § 2513

II

"Dar testemunho da verdade"

III

As ofensas à verdade

IV

O respeito à verdade

Artigo 9 O nono mandamento (§2514 a §2516)

I

A purificação do coração

 

§ 2517 a § 2533

II

A luta pela pureza

 Artigo 10 O décimo mandamento (§2534)

I

A desordem das concupiscências

 

 

§ 2535 a § 2557

II

Os desejos do espírito

III

A pobreza de coração

IV

"Quero ver a Deus"

QUARTA PARTE - A ORAÇÃO CRISTA

Primeira Seção A ORAÇÃO NA VIDA CRISTÃ (§ 2558 a §2565)

CAPÍTULO I - A REVELAÇÃO DA ORAÇÃO. VOCAÇÃO UNIVERSAL A ORAÇÃO (§2566 a §2567)

Artigo 1 No Antigo Testamento (2569 a 2597)

Artigo 2 Na plenitude do tempo (2598 a 2622)

Artigo 3 No tempo da Igreja (§2623 a §2625)

I

A bênção e a adoração

 

 

§ 2626 a § 2649

II

A oração de súplica

III

A oração de intercessão

IV

A oração de ação de graças

V

A oração de louvor

CAPITULO II - A TRADIÇÃO DA ORAÇÃO (§2650 a §2651)

Artigo 1 Nas fontes da oração (2652 a 2662)

Artigo 2 O caminho da oração (2663 a 2682)

Artigo 3 Guias para a oração (2683 a 2696)

CAPÍTULO III - A VIDA DE ORAÇÃO (2697 a 2699)

Artigo 1 As expressões da oração

I

A oração vocal

 

§ 2700 a § 2724

II

A meditação

III

A oração mental

Artigo 2 O combate da oração (§2725)

I

As objeções à oração

 

 

§ 2726 a § 2758

II

A humilde vigilância do coração

III

A confiança filial

IV

Perseverar no amor

V

A oração da Hora de Jesus

Segunda Seção - A ORAÇÃO DO SENHOR: "PAI NOSSO!" (§2759 a §2760)

Artigo 1"O resumo de todo o Evangelho" (§2761)

I

No centro das Escrituras

 

§ 2762 a § 2776

II

"A Oração do Senhor"

III

A oração da Igreja

Artigo 2"Pai Nosso que estais no céu "

I

"Ousar aproximar-nos com toda a confiança"

 

 

§ 2777 a § 2802

II

. "Pai!"

III

Pai "Nosso"

IV

"Que estais no céu"

Artigo 3 Os sete pedidos (§2803 a §2806)

I

Santificado seja vosso Nome

 

 

 

 

 

 

§ 2807 a § 2865

II

Venha a nós o vosso Reino

III

Seja feita a vossa Vontade assim na terra como no céu

IV

O pão nosso de cada dia nos dai hoje

V

Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos aos que nos têm ofendido

VI

Não nos deixeis cair em tentação

VII

Mas livrai-nos do mal

 

A doxologia Final

  

 

Mãe e Virgem de Guadalupe interceda por nós, vigie-nos com os seus olhos maternos

ÍNDICE GERAL

Toda sugestão e/ou correção é benvinda

Jesus Misericordioso, em terminando este trabalho, coloco-o em suas mãos para a sua glorificação, e todo o meu ser à sua disposição!